quarta-feira, 12 de novembro de 2008

ESTREIA
16/11/2008 . 15h30m . Teatro-Cine de Pombal

o dia em que troquei o meu pai por dois peixinhos vermelhos

SINOPSE
Neste espectáculo, entramos num universo onde trocar o Pai é tão fácil como trocar um cromo repetido. O ritmo dos dias que correm faz com que alguns aspectos da nossa vida sejam deixados de parte…Numa história que evidencia a banalidade das trocas que realizamos diariamente, o problema surge quando somos obrigados a desfazer as trocas… Aí, duas irmãs vêem-se obrigadas a partir juntas numa missão de resgate que parece ter o desfecho ao virar de cada esquina…



FICHA TÉCNICA:
TEXTO : Adaptação de uma obra de Neil Gaiman
ENCENAÇÃO : Humberto Pinto e Rita Leitão
ELENCO : Carolina Jesus , Karina Guergous, Leonardo Pereira e Teresa Raimundo
CENOGRAFIA : Teatro Amador de Pombal
ADEREÇOS E FIGURINOS : Elsa Silva, José Silva e Sónia Santos
PRODUÇÃO : Catarina Ribeiro e Elsa Silva
FOTOGRAFIA E DESIGN GRÁFICO : Rapaz Improvisado
DESENHO E OPERAÇÃO DE LUZ : João Alegrete
MÚSICA E SONOPLASTIA : Improvised Acoustic Boy

terça-feira, 8 de julho de 2008

32 ANOS DO TAP

APAREÇAM APAREÇAM APAREÇAM APAREÇAM APAREÇAM

Vem festejar os 32 anos do TAP!

Local: Teatro-Cine de Pombal

Dia: 18 de Julho (sexta-feira)

Programa:

  • 21h30m - Apresentação do espectáculo "Novecentos, O Pianista do Oceano" pelo Peripécia Teatro;

http://peripeciateatro.paloalto.pt/

  • 23h00m - "Viagem pelo mundo do TAP".
APAREÇAM APAREÇAM APAREÇAM APAREÇAM APAREÇAM

sábado, 5 de abril de 2008

Maria João quarteto


É já muito em cima da hora mas...


"Habituámo-nos de tal maneira a dizer Mariajoãoemáriolaginha (assim mesmo, tudo colado) que parece faltar qualquer coisa quando apenas dizemos Maria João. Mas a verdade é que não falta nada a "João". Pelo contrário. O álbum é um retrato fiel da mistura de influências e preferências que convivem na voz da intérprete. A música brasileira é, há muitos anos, uma das mais fortes. Foi buscar temas de Chico Buarque, Lenine, Carlinhos Brown, Marisa Monte e Caetano Veloso (entre outros autores), pegou neles, tornou-os seus e marcou-os com a sua impressão digital. Quer isto dizer que o álbum é um atestado da versatilidade de Maria João, que ora se passeia com delicadeza pelos momentos mais intimistas (como "A outra"), ora liberta toda a energia nos mais festivos ("E.C.T."). Com ou sem sotaque." - In Público

http://www.mariajoao.org

Aveiro, IV Festival InJazz - Jazz em Português.
Sábado, 05 de Abril, às 21h30
Informações e reservas: 234400922

quinta-feira, 27 de março de 2008

Como havemos de estar

"O Teatrão" estreia esta quinta-feira o espectáculo "Como havemos de estar"ou de como a mente mente e é demente…
Encenação de Nuno Pino Custódio


"(...) a necessidade de reflectir sobre o viver-se hoje e do sentido de se ser criador aqui e agora. Actualmente. Num tempo onde cada vez menos há tempo presente quando o Teatro é, na verdade, a arte da presença e do presente. Numa sociedade tão consumista, que só pode trabalhar o ego como o ponto de chegada de um indivíduo e a sua mente no espaço privilegiado da presença, como podemos pensar em fazer teatro? Com quem, aliás, podemos criá-lo ou senti-lo? Onde e quando? Que necessidade, que premência de facto existirá hoje na sua prática? (...) É aqui que se vão formando as personagens, que estas desenham situações, acções, acontecimentos. É aqui que tudo se sedimenta e o que dantes era improvisação agora já é partitura de uma peça. É aqui que, finalmente, fazendo jus a todos os desassossegos de um “como havemos de estar” se procurou criar uma plataforma que permita um encontro: a possibilidade de “quem faz” e “quem vê” se poderem encontrar algum dia, alguma hora, num mesmo local, mas num tempo outro, mais presente e actual que o agora da sua comparência: no temp(l)o do Teatro.

Coimbra, de 27 de Março a 4 de Maio
4ª a Sábado às 21h30 / Domingo às 17h00
Museu dos Transportes / M 12 anos
preço: 8€ Estudante 5€ Grupo de 10 ou + pessoas 3€
Informações e reservas: 239 714 013 /91 461 73 83

27 de Março

Dia Mundial do Teatro 2008 - Mensagem de Robert Lepage

Robert Lepage, actor, encenador e dramaturgo canadiano é o autor da Mensagem para o Dia Mundial do Teatro 2008. Aqui está ela:
"Existem várias hipóteses sobre as origens do teatro, mas aquela que me interpela mais tem a forma de uma fábula:Uma noite, na alvorada dos tempos, um grupo de homens juntou-se numa pedreira para se aquecer em volta de uma fogueira e para contar histórias. De repente, um deles teve a ideia de se levantar e usar a sua sombra para ilustrar o seu conto.Usando a luz das chamas ele fez aparecer nas paredes da pedreira, personagens maiores que o natural. Deslumbrados, os outros reconheceram por sua vez o forte e o débil, o opressor e o oprimido, o deus e o mortal.Actualmente, a luz dos projectores substituiu a original fogueira ao ar livre, e a maquinaria de cena, as paredes da pedreira.E com todo o respeito por certos puristas, esta fábula lembra-nos que a tecnologia está presente desde os primórdios do teatro e que não deve ser entendida como uma ameaça, mas sim como um elemento unificador.A sobrevivência da arte teatral depende da sua capacidade de se reinventar abraçando novos instrumentos e novas linguagens. Senão, como poderá o teatro continuar a ser testemunha das grandes questões da sua época e promover a compreensão entre povos sem ter, em si mesmo, um espírito de abertura? Como poderá ele orgulhar-se de nos oferecer soluções para os problemas da intolerância, da exclusão e do racismo se, na sua própria prática, resistiu a toda a fusão e integração?Para representar o mundo em toda a sua complexidade, o artista deve propor novas formas e ideias, e confiar na inteligência do espectador, que é capaz de distinguir a silhueta da humanidade neste perpétuo jogo de luz e sombra.É verdade que a brincar demasiado com o fogo, o homem corre o risco de se queimar, mas ganha igualmente a possibilidade de deslumbrar e iluminar."Robert Lepage

domingo, 9 de março de 2008

Gary Lucas + Dead Combo em Coimbra

















Coimbra em Blues - 6º Festival Internacional de Blues de Coimbra.

"O Coimbra em Blues 2008 tem o enorme prazer de apresentar a sua primeira “encomenda”, que cruza o Fado/Blues/western dos Portugueses Dead Combo – um dos mais interessantes e promissores projectos portugueses dos últimos anos – com o Blues/Jazz/Psicadélico do norte-americano Gary Lucas. Dele bastará dizer que tocou com Captain Beefheart, Nick Cave, John Cale, Iggy Pop, Eric Mingus, entre muitas dezenas de outros nomes.
Deste encontro – que partiu de duas músicas de cada projecto trabalhadas em conjunto e uma semana de residência artística em Coimbra – resultará o projecto inédito que poderá ser ouvido em exclusivo na noite de estreia do festival. Acreditamos que irá ser surpreendente."

COIMBRA, Teatro Acamdémico de Gil Vicente
quinta-feira, 13 de Março, 21h30
Preço normal 12,00€ | estudante e sénior 10,00€
Horário bilheteira do TAGV: seg a sáb 17h00-22h00
Telefone: 239 855 636

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Os Melhores Sketches dos Monty Python

Os Monty Python abriram os sentidos do mundo não só para a comédia, mas também para alguns temas importantes para as sociedades modernas: como trocar papagaios mortos; piadas enquanto armas mortíferas; canibalismo em agências funerárias; a presença de cangurus na Última Ceia. Em “Os Melhores Sketches dos Monty Python”, com encenação de António Feio e tradução e adaptação de Nuno Markl, os actores José Pedro Gomes, António Feio, Miguel Guilherme, Bruno Nogueira e Jorge Mourato, prestam a devida homenagem aos génios que lhes ensinaram boa parte daquilo que sabem sobre comédia.

Figueira da Foz, 1 e 2 de Fevereiro, 21h30
Grande Auditório - Centro de Artes e Espectáculos
M 12 anos / preço: 17,50€ / www.cae.pt

sábado, 26 de janeiro de 2008

Tap nos Encontros com o Teatro 2007

Está agora disponivel no blog http://encontroscomoteatro.blogspot.com
fotos do espectáculo do Tap realizado já nos idos de 2007.
Obrigado ao Paulo Costa pelas imagens.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Masculine

Um quarteto de intérpretes masculinos protagonizam "Masculine", uma peça intensa, quase febril, capaz de levar facilmente o público ao riso ou às lágrimas e que gira à volta do que aproxima esses intérpretes da "pessoa" de Fernando Pessoa. Novo espectáculo do coreógrafo Paulo Ribeiro, para ver no dia 26 de Janeiro, no Teatro Aveirense.
Apesar das alusões constantes a algumas criações literárias do poeta português, Paulo Ribeiro diz não ter tido "a pretensão de trabalhar Fernando Pessoa. "Interessou-nos mais pensar à volta da pessoa, do poeta, do que propriamente à volta do seu trabalho. Pensar mais esta pessoa, o que é que tinha que nos pudesse ser comum em relação à forma como saboreava a vida, como mexia nas coisas", descreve o coreógrafo.


Companhia Paulo Ribeiro
MÚSICA - Frank Zappa e PJ Harvey
COREÓGRAFO - Paulo Ribeiro
INTÉRPRETES - Miguel Borges, Peter Michael Dietz, Romeu Runa, Romulus Neagu
http://www.pauloribeiro.com

AVEIRO, Teatro Aveirense - Pç. República
Sábado, 26 de Janeiro de 2008, 21h30
preço: 15€ (c/descontos) Tlf: 234400922

domingo, 20 de janeiro de 2008

ÓQueStrada


Concerto de apresentação do primeiro EP do projecto português. Fado, ska, pop e funáná são alguns dos géneros que fazem parte da rota da trupe de 5 músicos que orquestram a estrada no encalço de todos vocês, são eles: Lima o Arquitecto, e a sua guitarra portuguesa Pablo, O Construtor, e a sua contrabacia Donatello, o Bom Vivant, e o seu acordeão Miranda, a Adorável, e a sua voz Zeto, o Homem do Pescoço de Aço e a sua guitarra ritmica.

oquestrada.com
http://www.myspace.com/oquestrada

LEIRIA, Teatro José Lúcio da Silva
Segunda-feira, 21 de Janeiro, 21h30
Preço: 8€, Telf.244834117

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

"Felizmente não é Natal"


Duas viúvas vivem há vários anos abandonadas num lar de idosos. Fernanda (Lourdes Norberto), irónica e mordaz, saboreia cada instante de uma realidade que não precisa de disfarçar, bebendo e fumando a bel-prazer, menosprezando as indicações do médico. Leonor (Manuela Maria), ansiosa e fantasista, constrói um mundo à sua medida, inventando a visita mensal do filho que há muito não vê, de modo a conseguir enfrentar o dia a dia com mais coragem. O quotidiano das duas mulheres é pontuado pelas visitas ocasionais da enfermeira Salomé (Paula Lobo Antunes), o único vínculo delas com o mundo exterior, e as visitas imaginárias de Alberto (Álvaro Faria), o filho de Leonor. Contudo, e após sete anos de ausência total, Alberto decide aparecer e a sua presença vai desencadear toda uma série de emoções. No final, as peças do puzzle começam a encaixar-se, na esperança de uma reconciliação com o passado.

Autoria: Carles Alberola
Encenação: Celso Cleto
Cenários e figurinos: José Costa Reis
Elenco: Lourdes Norberto, Manuela Maria, Paula Lobo Antunes e Álvaro Faria
Produção: C. M. Oeiras e Publicoleto

LEIRIA, Teatro José Lúcio da Silva
Sábado, 12 de Janeiro, 21h30
Público-alvo: M/12 / Preço: €12 /Duração: 1h30 (com intervalo)

quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

O Fazedor de Teatro

Encenação de Pedro Malacas

Numa parceria inédita em Coimbra entre o teatro universitário e o teatro profissional, o TEUC-Teatro dos Estudantes da Universidade de Coimbra e a Camaleão levam à cena uma das peças mais conhecidas de Thomas Bernard (1931-1989), novelista, poeta e dramaturgo austríaco. "O fazedor de teatro"é uma tragicomédia onde o próprio teatro é paradigma do absurdo da existência humana. Um teatro (leia-se vida) que falha perante as condições exteriores de um mundo adverso mas também perante os fantasmas, a prepotência e as fraquezas dos protagonistas e da própria sociedade.

COIMBRA, TAGV, dias 4 e 5 de Janeiro
21h30
Autor Thomas Bernhard
Encenação e dramaturgia Pedro Malacas
Cenografia Filipa Freitas e Pedro Malacas
Desenho de luz e sonoplastia Rui Capitão
Design gráfico Filipa Freitas
Fotografia Pedro Malacas
Cabeleireiro Ilídio Design
Produção executiva Cláudia do Vale e Marlise Gaspar
Interpretação António Mortágua, Ana Beirão, Filipa Freitas, Helena
Faria, José Geraldo, Marlise Gaspar e Nuno Geraldo .
Co-produção TEUC / Camaleão 2007
preço normal 10,00€ estudante e sénior 8,00€
amigo/a TAGV e protocolo de Teatro TAGV 5,00€